Unidade na Diversidade – Tema 2013 na IP Vila Alpes

Unidade na Diversidade – Será o tema para o próximo ano (2013) e foi lançado durante o nosso retiro espiritual.

O que significa unidade na diversidade? Diversidade do que? É possível manter a unidade diante da diversidade?

Queremos uma igreja forte e que viva o verdadeiro amor de Deus. O verdadeiro amor começa quando aprendemos a amar primeiramente a Deus e depois, consequentemente as pessoas. O amor às pessoas antes do amor a Deus, não é o verdadeiro amor. O amor a Deus é o referencial daquilo que devemos aceitar ou não na igreja de Cristo. Por amor a Deus aceitamos determinadas coisas e por amor a Deus, também rejeitamos determinadas coisas na igreja de Deus. Uma fé que exalta o amor às pessoas antes do amor a Deus, é uma fé equivocada e um amor carnal e anti-bíblico.  Um amor que aceita tudo não é um amor que a grada a Deus, não é o verdadeiro amor.

Por amor a Deus devemos acolher tudo aquilo que promove a unidade e por amor a Deus devemos rejeitar tudo aquilo que vá contra esta unidade. Todo espírito de divisão, discórdia, intriga, polêmica, fofoca… não vem de Deus e não promove a unidade. Devemos estar atentos a isto. Impressiona-me a preocupação dos Apóstolos quanto a isto. Veja o que diz Paulo a cerca disto: Rogo-vos, irmãos, que noteis bem aqueles que provocam divisões e escândalos, em desacordo com a doutrina que aprendestes; afastai-vos deles, porque esses tais não servem a Cristo, nosso Senhor, e sim a seu próprio ventre; e, com suaves palavras e lisonjas, enganam o coração dos incautos. (Rm 16:17,18) Veja que isto é claramente amar as pessoas antes do que a Deus, usando palavras lisonjas e suaves para agradar a homens. Isto não procede de Deus, por isso devemos nos afastar. Uma igreja que ama a Deus é uma igreja que fala a verdade para as pessoas. É uma igreja que agrada a Deus e não aos homens.

No entanto, é possível a unidade na diversidade. Mas precisamos lembrar que a diversidade na Bíblia é a diversidade de dons, de ministérios, diversidades de culturas… e nunca uma diversidade que ofenda a unidade. Pois a igreja é uma só, o Espírito é um só, Deus é um só, a verdade é uma só. Como lemos: “Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz; há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo;  um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos.” (Efésios 4:1-6)

Jesus mesmo nos lembra que devemos alcançar outras pessoas para que elas experimentem esta unidade, tendo um só pastor e vivendo em um só rebanho: “Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco; a mim me convém conduzi-las; elas ouvirão a minha voz; então, haverá um rebanho e um pastor.” (João 10:16)

Neste período que nossa igreja está vivendo, o mais importante é manter a unidade. Assim, deixamos bem claro a todos que estão chegando qual nossa visão, missão e valores, de modo que as pessoas são convidadas a permanecerem para juntos edificarmos uma igreja de acordo com a nossa visão e em total sintonia com a liderança local. E caso não comprem a nossa visão, estão livres para procurarem outra igreja. O que já ocorreu com queridos irmãos que serão bem mais abençoados em outras comunidades irmãs. Pois não estamos desesperados por quantidade a qualquer preço, mas antes de tudo, unidade! E está claro para liderança e para toda igreja que uma comunidade em seus primeiros anos de vida, em seu processo de consolidação, não comporta várias visões ministeriais. Pessoas que queiram desenvolver uma “carreira solo” na igreja de Cristo, seguir sua própria visão pessoal de ministério e igreja, seguir e disseminar suas próprias idéias, trabalhar sem estar em submissão e em sintonia com a liderança local, não podem jamais promover a unidade desta igreja. Mas todos devem estar em total sintonia com a visão ministerial estabelecida pela liderança local, pois esta é a única forma de buscarmos a unidade. E esta é também a melhor forma para provarmos nosso amor primeiramente a Deus e também às pessoas, pois desta forma caminharemos juntos em unidade, para a glória de Deus e não para a glória de uma pessoa ou grupo isolado.

Queremos formar uma igreja forte e acolhedora, que ressalta a verdade de que somos chamados para amar primeiramente a Deus e consequentemente também as pessoas. Assim, teremos uma igreja madura e com discernimento, conhecendo aquilo que podemos tolerar, como lemos: “suportando uns aos outros em amor” e aquilo que não devemos tolerar, como lemos: “noteis bem aqueles que provocam divisões e escândalos”. Devemos buscar o amor a Deus promovendo a unidade no corpo de Cristo, devemos promover o crescimento em unidade, e assim, consequentemente virá também a quantidade. Quantidade do verdadeiro amor, de espiritualidade e até mesmo quantidade de pessoas que estejam dispostas a amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmo, e também estejam dispostas a caminhar em sintonia e debaixo da liderança local. Que Deus abençoe grandemente a Igreja Presbiteriana Vila Alpes, para que ela cresça em unidade no ano de 2013. Se afastando de tudo aquilo que não promove a unidade e buscando tudo aquilo que coopera para a unidade do corpo de Cristo que é a Sua igreja, e tudo isto para a Sua glória! 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s